Desde o nascimento at√© sua vida adulta, os campos do conhecimento que experimentamos perpassam pelas formas da escuta, da fala, do pensamento e da imagina√ß√£o. A biblioteca, enquanto local de acesso √† ci√™ncia e ao l√ļdico, oferece in√ļmeras oportunidades para o exerc√≠cio da autonomia e acesso ao conhecimento. Veja abaixo 12 Motivos que listamos para um melhor engajamento dos estudantes √† Biblioteca Escolar!

1. Fazer parte de Fazer parte de um espaço Fazer parte de virtual divertido e interativo

O mundo est√° cada vez mais digital e as pessoas est√£o cada vez mais conectadas! Uma biblioteca com pensamento contempor√Ęneo tem de prever formas de atender √†s demandas tecnol√≥gico/educacionais do estudante, criando servi√ßos para que ele participe de forma interativa da vida da escola e da biblioteca! Assim, interagir, indicar, avaliar, favoritar e tamb√©m resenhar obras j√° lidas entre os grupos √© uma boa pedida! Leitura de livros f√≠sicos e virtuais s√£o parte de uma mesma hist√≥ria porque a plataforma da biblioteca deve ter recursos tecnol√≥gicos para deixar todos seus usu√°rios a par das publica√ß√Ķes de informa√ß√Ķes, not√≠cias, eventos, cita√ß√Ķes, enquetes e notifica√ß√Ķes em tempo real.

2. Ler pode ser cada vez mais divertido e prazeroso!

Novos tempos pedem que a biblioteca esteja cada vez mais integrada aos processos pedag√≥gicos da escola! Por isso, as publica√ß√Ķes do acervo da biblioteca devem ficar dispostos de maneira diferenciada na √°rea de pesquisa do estudante. De prefer√™ncia individualizada com recomenda√ß√Ķes de livros, aquisi√ß√Ķes recentes da biblioteca, sugest√Ķes de f√≥runs, listas, amigos e muito mais!

3. Quando estudamos em grupos aprendemos mais!

A A biblioteca deve oferecer servi√ßos diferenciados para que qualquer usu√°rio possa criar grupos, listas ou f√≥runs de discuss√£o. Criar espa√ßos virtuais e locais para que grupos de leitura liter√°ria ou de pesquisa se re√ļnam, oportunizando a todos interagir de forma did√°tica. Uma boa plataforma de Rede Social de Leitores pode proporcionar isso!

4. Quando lemos algo de que gostamos queremos compartilhar a experiência!

O que √© bom a gente indica, correto? A partir dos servi√ßos da biblioteca o estudante deve poder consultar obras (livros, √°udios, v√≠deos, revistas, etc.) e indic√°-las a um amigo espec√≠fico ou a um grupo de amigos. Com projetos de intera√ß√£o via plataforma da biblioteca, o estudante deve ter acesso a ferramentas para avaliar cada publica√ß√£o do acervo e ter, a partir de um ranking, acesso aos resultados das m√©dias das avalia√ß√Ķes globais dos demais colegas da escola para compartilhar a experi√™ncia!

5. Porque é muito bom ter amigos!

Escola √© espa√ßotempo de m√ļltiplas aprendizagens! E poder convidar amigos para fazer parte da sua rede de leitura √© uma √≥tima oportunidade para o estudante compartilhar conhecimentos. Via servi√ßos da biblioteca, o estudante pode convidar colegas e professores para fazer parte da sua rede pessoal de amigos. √Č um momento especial em que √© poss√≠vel ver o que o amigo curtiu, avaliou, que livros leu, suas listas de leitura e muito mais! Mas como nem tudo no mundo √© para compartilhar com o p√ļblico em geral, a biblioteca deve prever a privacidade do estudante para que ele se sinta a vontade para partilhar ou n√£o com os colegas suas atividades leitoras.

6. A produção escrita faz parte do dia a dia de um mundo conectado!

√Äs vezes, somente as informa√ß√Ķes t√©cnicas de uma obra n√£o s√£o suficientes para convencer algu√©m a l√™-la! A√≠, o recurso de resenhar obras entra em a√ß√£o! A biblioteca pode usar recursos para que o estudante tenha a oportunidade de ler uma obra e produzir uma resenha de modo a ajudar outro leitor a decidir sua leitura. √Č um momento especial pois, al√©m da contribui√ß√£o escrita do leitor, h√° a intera√ß√£o entre leitores, obras e opini√Ķes!

7. Quero Ler!

Quero ler! Imagine se você vê um livro na estante mas não pode lê-lo naquele momento? Isso é frustrante e, às vezes, causa uma certa ansiedade. Que tal se o estudante marcar o livro para ler depois? Então, via recursos tecnológicos a biblioteca deve possibilitar ao estudante que ele marque uma a obra para lê-la depois,seria como montar uma prateleira virtual dos livros que a biblioteca possui e ele tem interesse de ler. Assim o usuário cria sua lista individual de obras para ler no futuro.

8. A biblioteca é parceira da direção nos processos pedagógicos da escola!

O Brasil est√° em um momento muito especial na Educa√ß√£o. Com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), as escolas tem mais clareza de onde se querem chegar no momento da cria√ß√£o e elabora√ß√£o de seus curr√≠culos. E a biblioteca √© o espa√ßo onde v√°rias proposi√ß√Ķes podem se consolidar. Mas n√£o basta apenas ter o espa√ßo, elas tem de se modernizar para acompanhar as novas formas como se ensina ou se aprende na sociedade! A Biblioteca pode ser uma grande parceira da escola nesse momento e deve trazer √† dire√ß√£o propostas diferenciadas de servi√ßos utilizando tecnologias educacionais, de prefer√™ncia que tenham ader√™ncia √†s propostas da BNCC.

9. Pelo direito ao desenvolvimento e √† aprendizagem 

A Biblioteca da escola √© um espa√ßo de m√ļltiplas experi√™ncias. Espa√ßo de produ√ß√£o e compartilhamento do conhecimento e tamb√©m de conviv√™ncia, trocas e lazer. √Č importante que esteja em conson√Ęncia com o projeto pedag√≥gico escolar e que comungue de seus valores. Isso tamb√©m vale para os ambientes virtuais que atendem o estudante. Estes ambientes virtuais devem refletir o que a escola pensa, planeja e age, e devem ser lugar de aprendizagem, usabilidade, intera√ß√£o e confiabilidade.

10. O estudante crítico e reflexivo

De acordo com Willian Glasser, ‚Äúa boa educa√ß√£o √© aquela em que o professor pede para que seus alunos pensem e se dediquem a promover um di√°logo para promover a compreens√£o e o crescimento dos estudantes‚ÄĚ. Assim, o estudante precisa de espa√ßos, tanto f√≠sicos quanto virtuais, para exercer seu direito de aprendizagem e conhecimento. Nesse momento, a biblioteca da escola √© de suma import√Ęncia para o exerc√≠cio desse direito e as tecnologias educacionais s√£o √≥timas parceiras para atingir esse objetivo. Dessa forma, dialogar, interpretar, comunicar, argumentar, elaborar etc., s√£o compet√™ncias essenciais que podem ser facilmente trabalhadas a partir da intera√ß√£o do estudante com os livros e outros materiais constantes no acervo das bibliotecas.

11. O eu, o outro e o nós

A BNCC nos indica que situa√ß√Ķes de intera√ß√£o permitem √† crian√ßa compreender e constituir seu modo particular de agir, sentir e pensar bem como permite a descoberta de novos pontos de vistas e da percep√ß√£o e respeito a diferen√ßas. Na biblioteca, o exerc√≠cio dessas experi√™ncias pode, al√©m de divertidas, tamb√©m ser aliadas do processo de aprendizagem do estudante, no sentido de a informa√ß√£o e seus registros permitirem ao sujeito o acesso democr√°tico ao conhecimento, o que vai ajud√°-lo na constru√ß√£o e compreens√£o de si mesmo e do outro. √Č por esse motivo que bibliotecas n√£o podem ser apenas espa√ßos para controle de empr√©stimos e devolu√ß√Ķes de livros.

Bibliotecas escolares devem ser espa√ßos de descobertas, onde a intera√ß√£o e a est√©tica adequada √†s faixas et√°rias propiciem ao estudante o exerc√≠cio da autonomia, do senso de congrega√ß√£o e do respeito √†s diferen√ßas garantindo, assim, a manuten√ß√£o de rela√ß√Ķes sociais voltadas para a cultura da paz.

12. Escuta, fala, pensamento e imaginação

Desde o nascimento at√© sua vida adulta, os campos do conhecimento que experimentamos perpassam pelas formas da escuta, da fala, do pensamento e da imagina√ß√£o. A biblioteca, enquanto local de acesso √† ci√™ncia e ao l√ļdico, oferece in√ļmeras oportunidades do exerc√≠cio da escuta, da fala, do pensamento e da imagina√ß√£o dos estudantes. Ao transpormos essa experi√™ncia para o engajamento dos estudantes, as bibliotecas devem oferecer acessos a publica√ß√Ķes em diversos formatos para que possam conviver, experienciar, participar, explorar e se expressar em forma de avalia√ß√Ķes de livros lidos, indica√ß√£o de materiais acessados, leitura e audi√ß√£o de documentos. Tudo em tempo real e de forma interativa.

Investir na modernização da Biblioteca é um grande diferencial para sua instituição

A Biblioteca é suporte aos profissionais de educação na construção de material rico para estudo e desenvolvimento dos estudantes. Os professores também contam com um apoio extra para produzir aulas incríveis.

A tecnologia permite aperfei√ßoar os processos de uma Biblioteca, como a organiza√ß√£o, acesso e, principalmente, aumentar a dissemina√ß√£o das informa√ß√Ķes, melhorando a comunica√ß√£o. As Bibliotecas podem apresentar um servi√ßo cada vez mais qualificado.

A inclus√£o digital melhora a metodologia de ensino

A modernização das Bibliotecas propicia aos estudantes adquirirem novos conhecimentos a partir de uma nova metodologia de ensino em que o digital ajuda na imersão no universo literário, despertando a imaginação, aprimorando a escrita e a compreensão da língua portuguesa com descoberta de novas culturas e ciências, trabalhando mais a concentração, entre muitos outros aspectos.

A sua Biblioteca j√° est√° na era digital?

Conheça o i10 Bibliotecas e modernize sua Biblioteca: clique aqui para saber mais.

Cadastre-se e tenha nossa. Clique aqui e solicite uma visita t√©cnica para conferir todos os recursos dispon√≠veis em nossas solu√ß√Ķes.  

Em casos de d√ļvidas entre contato conosco pelo e-mail: atendimento@praxis.com