O Minist√©rio da Educa√ß√£o divulgou dados da Avalia√ß√£o Nacional da Alfabetiza√ß√£o (ANA) referentes ao ano de 2016, que evidenciam que mais da metade das crian√ßas do 3¬ļ ano do ensino fundamental possuem conhecimento insuficiente em matem√°tica e leitura.

De acordo com uma avalia√ß√£o realizada pelo Movimento Todos pela Educa√ß√£o, se o pa√≠s continuar no atual ritmo de melhorias no n√≠vel de aprendizado dos alunos, ser√£o necess√°rios 76 anos para que todos os estudantes sejam considerados proficientes em leitura ao final do 3¬ļ ano do ensino fundamental.

Estatísticas preocupantes

A Avalia√ß√£o Nacional de Alfabetiza√ß√£o aponta que 55% das crian√ßas de 8 anos de idade, e que est√£o no 3¬ļ ano do ensino fundamental, t√™m dificuldade de reconhecer figuras geom√©tricas, valor monet√°rio de uma c√©dula e contar objetos, por exemplo. Elas apresentam tamb√©m dificuldade para ler palavras com mais de uma s√≠laba e para identificar o assunto de um texto mesmo estando no t√≠tulo.

Os dados da ANA 2016 mostram que, em matem√°tica, 45% dos alunos t√™m n√≠vel suficiente de conhecimento, sendo que s√≥ 27% est√° no patamar desej√°vel (considerado correto para a escolaridade), ou seja, conseguem reconhecer informa√ß√Ķes em gr√°ficos de barras e calcular subtra√ß√£o com at√© tr√™s algarismos.

Em leitura, o √≠ndice dos alunos com conhecimento adequado para a idade tamb√©m √© de 45%. Por√©m, s√≥ 13% est√£o entre os considerados com conhecimento “desej√°vel”, que est√£o no topo da escala. Somentes estes conseguem, por exemplo, reconhecer os participantes de um di√°logo em uma entrevista fict√≠cia.

Diferenças regionais

Os dados da ANA mostram que as regi√Ķes Norte e Nordeste foram as que obtiveram os piores resultados de leitura, com 70,21% e 69,15% dos estudantes apresentando n√≠vel de insufici√™ncia, respectivamente. Esses percentuais caem para 51,22% no Centro-Oeste, 44,92% no Sul e 43,69% no Sudeste. Em estados como Maranh√£o, Sergipe e Amap√°, o √≠ndice de crian√ßas com n√≠vel considerado suficiente em leitura est√° em torno de 20%.

O Rio de Janeiro foi o √ļnico estado das regi√Ķes Sudeste, Sul e Centro-Oeste com mais de 20% dos alunos alocados no pior n√≠vel de profici√™ncia em Leitura. Em Matem√°tica, o Rio tamb√©m √© o pior de Sudeste, Sul e Centro-Oeste, com 60% dos alunos no n√≠vel ‚Äúinsuficiente‚ÄĚ.

As informa√ß√Ķes s√£o do jornal A Cr√≠tica. Leia o artigo na √≠ntegra aqui.

O que sua escola pode fazer?

Pensando em quest√Ķes como esta, a¬†Praxis Softwares Gerenciais¬†desenvolveu o¬†i10 Bibliotecas. Um software premiado internacionalmente, que possui uma¬†Rede Social de Leitores¬†para que as pessoas possam interagir. O sistema permite que a institui√ß√£o ‚Äúconverse‚ÄĚ com seus usu√°rios, sejam eles, clientes, estudantes, profissionais ou apenas pessoas da comunidade. Nossa¬†Rede Social de Leitores¬†permite a cria√ß√£o de grupos, de listas de sugest√Ķes, indica√ß√Ķes de livros para amigos, produ√ß√£o de resenhas, al√©m de sugerir obras para quem gosta de ler. √Č poss√≠vel, ainda, dar notas aos livros e aos autores constantes no acervo da biblioteca. O sistema √© uma tecnologia pedag√≥gica para ser explorada pelos pais e familiares do usu√°rio cadastrado, por professores, alunos, pedagogos, bibliotec√°rios, escritores, ou mesmo pelo namorado ou namorada do usu√°rio.

N√≥s queremos revolucionar a forma como as pessoas leem, consomem informa√ß√Ķes e interagem entre si.

Para saber mais, leia o nosso artigo “Era uma vez‚Ķ o usu√°rio: as transforma√ß√Ķes no espa√ßo da biblioteca e da escola“.